Drª Audrey Lawrence Burton

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Drª Audrey Lawrence Burton

Mensagem por Drª Audrey Burton em Dom 08 Out 2017, 12:38

Drª Audrey Lawrence Burton
“I wanna fuck you like an animal, I wanna feel you from the inside, I wanna fuck you like an animal,
My whole existence is flawed you get me closer to God.” ― Nine Inch Nails



O INÍCIO DE UM SONHO
Audrey é uma mulher como qualquer outra, com família e amigos, dentre os quais é mais conhecida atualmente como Drª Burton. Filha de Nancy e Richard Burton, nasceu na pequena  Baldwin City (Kansas). Uma cidadezinha norte americana pacata e de vida simples. A filha do meio do casal, tendo como mais velho Marc (3 anos de diferença) e mais novo Anthony (2 anos de diferença), viviam uma vida tranquila na cidade interiorana, mas Audrey tinha muitas ambições, ela sonhava alto demais para viver naquela cidade, queria ver tudo o que via nos filmes, sonhava poder ter muito mais do que sua cidade poderia lhe oferecer. Desde criança demonstrava ser muito sonhadora, queria poder salvar vidas, ajudar as pessoas, mas ali não havia uma faculdade de medicina nem ao menos enfermagem, então ela sabia que teria que se mudar, mas sua família jamais aceitaria isso.
Para eles, Audrey teria que ser apenas mais uma dona de casa e trabalhar no hotel da família, o Coyote's Sleep Inn. Assim, depois de uma séria discussão com seus pais, ela fugiu de casa com o pouco de bagagem que conseguia carregar e com 16 anos e o sonho de cursar medicina, Audrey foi para a grande Nova York. Sem muito dinheiro, ficou em uma pensão feminina de um bairro pobre. Em pouco tempo conseguiu emprego em uma lanchonete, mas também estudava muito na biblioteca central, se preparando para tentar uma universidade. Ela era muito inteligente e com isso foi aprovada na New York University, cujo campus principal se localiza no bairro Greenwich Village, na ilha de Manhattan. Audrey entrou em um programa especial para bolsistas, estando um passo mais perto de se tornar uma médica bem sucedida. Não era fácil estudar durante a manhã e a tarde e ainda trabalhar na lanchonete, então ela começou a passar muita dificuldade. Foi aí que embarcou em uma grandiosa aventura, mas que
Mesmo assim não desistia, continuava a trabalhar e a estudar, até que uma oportunidade de dinheiro mais fácil surgiu. Ela foi convidada por um cafetão a se tornar dançarina e striper em uma casa de shows chamada "Cat's Eye", onde não seria obrigada a fazer programas, tinha apenas que dançar e entreter a platéia. Audrey aceitou a proposta e começou a trabalhar para ele, seu nome era Matt Murdok ele era um jovem empresário na época com 28 anos de idade. Audrey foi apresentada às colegas de trabalho, responsáveis por treiná-la e em pouco tempo aprendeu a dançar. Para não estragar a sua imagem, num acordo ela e Matt combinaram que em hipótese alguma ela mostraria o rosto no local de trabalho. Apenas ele saberia quem era ela, pois ela sempre usaria máscaras nas apresentações. Matt achou que o ar de mistério seria um bom marketing e apostou nessa ideia. Ela tinha apenas 17 anos, mas seu corpo já tinha a forma de uma mulher adulta. Os seios fartos e durinhos, a cintura bem fina, o bumbum empinado e as pernas longas eram atributos que chamavam muito a atenção dos visitantes. Dentro de pouco tempo, ela se tornou atração principal das noites do Cat's Eye. Sua performance melhorava a cada apresentação e seu cachê passou a ser 25% do lucro por noite.
A jovem sonhadora levou os 2 primeiros anos de curso dessa forma. Propostas para programas não lhe faltavam, mas ela ainda guardava no coração a inocência da cidade do interior e por isso continuava a se guardar, mantendo a sua virgindade mesmo com as investidas de Matt, que por ser o seu chefe era muitas vezes abusado demais. Mesmo assim, com muito bom humor ela sempre conseguia se livrar dele, que tentava com cada vez mais freqüência provocá-la. Mas como o coração da garota já estava ocupado, ela continuava a resistir. Seu coração estava ocupado por um rapaz chamado Thomas Gallatin por quem ela tinha um amor platônico. Ele era um rapaz muito extrovertido, amigo de todo mundo, charmoso, simpático, gentil e bonito, além disso era filho de um dos sócio-proprietários da Universidade de Nova York, onde estudavam. Quando ele chegava, Audrey mal conseguia respirar, ficava nervosa e sem graça, gaguejava e até tremia. Mas ele parecia não notar.
Thomas era representante de turma então ele costumava falar com todo mundo, sempre no mesmo tom, gentil e agradável. Dificilmente perdia a cabeça, com certeza se tornaria um excelente médico. Após 1 ano de apresentações, ele também ficou sabendo da dançarina misteriosa do Cat's Eye e foi até lá assisti-la, deixando-a apavorada quando o viu. Audrey ficou com muita vergonha, mas pela primeira vez ele estava ali para vê-la e desejá-la, então ela faria sua performance da melhor forma possível. Depois da primeira noite, Thomas começou a frequentar mais o lugar para ver a dançarina e isso a deixava cada vez mais feliz. Na faculdade ele mal sabia da existência dela, mas ali ele olhava exclusivamente para ela, aplaudia, elogiava, tudo parecia perfeito, exceto pelo fato dele não saber que era para ela, a garota tímida da faculdade, que ele olhava quase todas as noites. Seus olhos brilhavam sempre que a viam dançar majestosa sobre o palco e os dela também brilhavam ao vê-lo entrando para assistir.
A TRANSFORMAÇÃO EM PESADELO
Foi assim durante bastante tempo, até que Matt percebeu o que estava acontecendo ali e começou a ficar enciumado com esse novo cliente, já que queria ter Audrey dançando só para ele e por ele. Não aceitaria tamanha dedicação dela por aquele garoto da faculdade de Medicina, então passou a cercá-la e a provocá-la cada vez mais. A garota começou a achar estranho o comportamento do chefe, Matt começou a ficar mais ousado em sua investidas, passando a mão no corpo dela, agarrando-a à força e tentando beijos forçados, o que começou a deixar a garota assustada. Ela conversou com ele e ele pediu desculpas mas não parou de correr atrás dela, até que após mais uma noite maravilhosa dançando, Matt mandou que uma das colegas de Audrey lhe avisassem que ela tinha uma proposta de programa com Thomas, o que a deixou muito feliz, pois era ele o homem dos seus sonhos.
Na mesma hora ela aceitou, pois se fosse para se entregar a alguém, que fosse para Thomas, mesmo ele não sabendo quem era ela. A garota se vestiu impecavelmente bem e ficou aguardando a chegada dele, ansiosa. Porém, quem chegou até ela foi Matt, que abriu a porta com violência e começou a agarrá-la e a tirar-lhe as roupas à força. Audrey gritava, assustada com tudo aquilo, sem querer aceitar se entregar logo para um homem como aquele. Audrey chorava implorando para que Matt parasse, mas ele estava realmente determinado a conseguir o que queria e ela não tinha força para lutar contra ele. Assim a jovem sonhadora teve sua inocência perdida para um homem canalha como aquele, deixando-a com muito nojo do próprio corpo, enquanto chorava com a dor das penetrações e pela humilhação que sofria calada.
Matt molestou a jovem sem piedade, usou o corpo dela e depois a deixou deitada na cama, olhando para o sangue que escorria, mostrando que a virgindade dela fora arrancada por ele. O canalha sorria olhando a garota chorar e soluçar, encolhendo-se na cama com o corpo nu sujo de esperma e sangue. As gargalhadas insanas de Matt ecoavam pelo recinto, enquanto ele lhe dava as costas e saía do recinto. Já Audrey ficou em estado de choque, sem reação. Recuperando-se do choque, a jovem saiu do local, juntou seus pertences e fugiu, sem um rumo certo a seguir, com muito medo do que pudesse acontecer a ela a partir dali. Ela foi morar no campus da Universidade, onde se sentiria mais segura, com algumas colegas da faculdade. Fingindo estar tudo bem, Audrey sofreu sozinha todo esse inferno pessoal, ficando traumatizada com isso e consequentemente muito mais reservada, evitando ao máximo o contato com homens, por medo.
Até mesmo seu amor por Thomas havia definhado, ela ainda gostava muito dele, mas ainda assim o evitava. Foi assim durante toda a graduação. Trabalhando como garçonete depois de fugir de Matt Murdok para pagar as despesas com os estudos, transporte e alimentação. Além disso fazia trabalhos para os colegas para ganhar um extra. Com muita luta chegou o momento da  formatura, que foi sua maior conquista. Foi no baile de formatura que finalmente Thomas Gallatin a convidou para ser seu par. "Logo eu?", pensava Audrey. Ele tinha tantas opções de lindas garotas para levar ao baile de formatura, mas ela foi a escolhida, por quê? Talvez por ser a única naquela universidade que ele nunca "pegou", e isso a alegrava mas ao mesmo tempo a constrangia, afinal ele poderia querer apenas sair da faculdade tendo ficado com todas as garotas dali.
Na festa de formatura do curso de Medicina, Thomas lhe deu o primeiro beijo apaixonado. Ele era como um príncipe encantado para a garota do interior, sempre tão reservada, muitas vezes até medrosa quanto às intenções das outras pessoas. A felicidade daquele beijo foi a mais incrível que ela já sentiu em toda sua vida, ele era simplesmente perfeito aos olhos dela e foi ele o primeiro para quem ela realmente se entregou. Após o baile eles foram para o apartamento dele, onde passaram uma noite perfeita juntos e na manhã seguinte, o sonho parecia continuar. Ele a pediu em namoro e assim começaram um relacionamento sério que durou pelos 2 anos de residência médica do casal, que passou a morar junto Nova York, onde ambos foram aprovados, cada um em sua área de interesse. A residência consiste no trabalho do médico ainda inexperiente como clínico geral, justamente para adquirir prática e entrar no mercado de trabalho.
O local escolhido por Thomas para adquirir experiência foi o Hospital das Forças Armadas, onde ele se apaixonou pela medicina de campo e a técnica médica de urgência, realizando especialização e mestrado na área, todas ligadas ao tratamento de ferimentos de guerra, em pouco tempo e com recursos muito limitados, onde ele se destacou por sua capacidade nata na arte do improviso, o que lhe rendeu uma proposta maravilhosa: a de atuar em zonas de conflito, como Afeganistão, Síria, Paquistão, Egito e outras zonas de conflito. Aos olhos dele essa seria a oportunidade perfeita para atuar na área que mais admirava, mas para Audrey a ideia era absurda, pois ela se especializou em neurologia e preferia a ideia de ficar segura em um hospital, à trabalhar a campo como o marido desejava. Ela queria estabilidade e ele aventura, adrenalina. Não foi fácil convencer a jovem apaixonada de que aquela ideia iria dar certo, mas ela o amava e por essa razão aceitou que ele fosse, acreditando que Thomas se arrependeria logo e voltaria.
Nas primeiras semanas de treinamento em um Combat Hospital, no Cambodja, Thomas passou por muita dificuldade, mas se adaptou a tudo e logo estava habituado e cada vez mais apaixonado pelo seu trabalho. Meses se passaram e ela e Thomas já quase não se viam em função da rotina atribulada de ambos com seus respectivos empregos, mas mantinham a relação até o dia em que Audrey voltou para casa e viu o namorado com outra mulher. Ele estava de férias em Nova York e ela não. Ela sequer tinha entrado na casa ainda, mas viu que na garagem haviam dois carros e ao espiar pelas imensas janelas de vidro viu o casal apaixonado "se aquecendo" perto da lareira. E foi ali que ela decidiu que nunca mais confiaria em um homem. Fechou seu coração e friamente abriu a porta da casa de onde possuía a chave, entrou e passou pelo casal sem dizer uma palavra, recolheu seus pertences e se retirou. Thomas insistia que eles tinham que conversar, pedia desculpas, mas Audrey sequer ouvia suas palavras. Ela deixou a chave que pertencia a ela sobre o balcão da cozinha e foi embora com seus poucos pertences, afinal a casa pertencia à família de Thomas.
CORAGEM E RECOMEÇO
Sempre muito desapegada a bens materiais, Audrey não tinha muita coisa para carregar, então passou a morar novamente com a mãe, à qual também não teve muita sorte, pois seu pai a traiu com uma empregada e depois com outras garotas mais novas que a própria filha. Ambas ficaram morando em Nova York, e Audrey percebeu que era ali o seu lugar. Passou a se dedicar cada vez mais ao trabalho e sua mãe fez um curso de enfermagem para também se dedicar à saúde. Mas infelizmente as coisas não ficaram tranquilas por muito tempo. Thomas continuou a procurar a morena se dizendo arrependido e ela cedeu, mas ele já estava muito diferente do que era antes e a envolveu em uma relação extremamente abusiva, alternando entre a violência e o cavalheirismo, até se casarem e ele perder de vez o respeito por ela. Audrey foi introduzida no mundo BDSM pelo marido de uma forma bem hostil. Ele a maltratava e humilhava muito, mas ela sempre submissa, apenas aceitava, se contentando com o pouco de atenção que recebia dele. O problema é que seus gostos ficavam cada vez mais exóticos e ele começou a envolver mais pessoas na relação, colocando amigos e conhecidos para se satisfazer com a morena, enquanto ele assistia e se estimulava, começou a obrigar a garota a andar de quatro pela casa, beijar seus pés, usar coleiras e correntes, bater muito até que ela perdesse a consciência, afogar na banheira ou sufocar com sacos plásticos, coisas que começaram a assustar Audrey, que se  sentia cada vez mais perto da morte. Ele a obrigava a servir os convidados nas reuniões do marido de quatro, nua, recebendo todo tipo de violência por parte deles e alguns se mostravam ainda mais agressivos que Thomas.
Várias vezes a morena foi parar em algum hospital onde Thomas sabia que seria acobertado quanto à violência. No começo ela até sentia algum prazer naquilo tudo, afinal também tinha seus fetiches, mas o extremo da relação que sempre a deixava extremamente ferida e dolorida começou a incomodar demais. Audrey também queria dominar, não queria mais ser apenas submissa, muito menos humilhada daquela forma a todo instante. Seu sonho era engravidar, mas como não conseguia, seu marido sempre a torturava psicologicamente destruindo sua auto estima, deixando a morena em pedaços física e psicologicamente. Thomas queria muito ter filhos, mas Audrey não engravidava, então ele a punia e humilhava, até que ela se cansou e encontrou forças para sair daquela situação. Ela se separou e fugiu para Vancouver, onde esperava recomeçar sua vida, com uma carreira bem longe de toda sua história ruim. Hoje, nada mais importa para ela além do seu trabalho, gastando até suas horas vagas mergulhada nos livros estudando.

SEXUALIDADE E LIBERDADE
Como garota do interior que era, sua experiência sexual era mínima, então ela só conseguiu começar a se conhecer e explorar a própria sexualidade e os próprios desejos depois de fugir do marido, buscando experimentar de tudo, livrando-se da ideia conservadora que tinha das coisas, de submissão, de mulher que deve servir ao marido. Assim passou a se dedicar mais também a si mesma e ao próprio prazer e se tornou uma mulher muito mais confiante e bem estruturada. Seu corpo e sua alma finalmente estavam se reconstruindo e mesmo o BDSM passou a fazer parte de seu prazer, mas agora sem as imposições absurdas de Thomas. Audrey agora percebe que o jogo de dominação, quando é desejado por ambos, em uma relação de liberdade é muito prazerosa, então não tolera mais qualquer tipo de imposição. Tornou-se curiosa para explorar as diferentes possibilidades de envolvimento sexual e passou a utilizar para isso sua liberdade.





Dª Audrey Burton
I’m so addicted to this kind of game...
Thanks to Andy on QueenOfGraphics
avatar
Drª Audrey Burton

Idade : 29
Nacionalidade : Baldwin City, Kansas, EUA.
Mensagens : 1

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum